no RADAR: Fuluke e a Máfia Afrikana, Joker, PH, Jenny Zion & Herméticos

Mais uma semana. Mais uma série de artistas que estão se destacando no cenário underground do RAP brasileiro. E temos “no RADAR”, o Fuluke e a Máfia Africana, Joker, PH, Jenny Zion & Herméticos. Também apertamos o start da playlist no Spotify. Sempre atualizada, a lista é formada por músicas dos artistas que destacamos aqui “no RADAR”.


Fuluke e a Máfia Afrikana – Oráculo

Já faz um bom tempo que “Fuluke e a Máfia Afrikana” está denunciando as desigualdades e conscientizando a juventude da periferia. No recém-lançado LP “Oráculo”, o coletivo continua se posicionando para politizar.

Influenciado pelo candomblé, jazz, e sambas “marginais” dos anos 80 e 90, Fuluke e sua máfia apresenta um repertório autoral composto por 16 músicas.

“As letras das músicas refletem a vivência de um jovem latino periférico, narrando a realidade vivida pela juventude negra”, diz. “Elas também resgatam a ancestralidade negra e a transversalidade entre o novo e o velho, traçando uma linha sucessória do cotidiano da população negra e periférica, e enaltecendo em segundo plano nos traps pesados e graves, os atabaques, que no fundo demarcam o resgate da comunicação quilombola ancestral com a roupagem contemporânea.”

Joker – Hip-Hop

O Joker tem feito uma série de trabalhos audiovisuais para preparar a chegada da mixtape “Everest”. O MC tem estilo próprio. Sabe cativar. É explosivo. Ele mostra essa desenvoltura no vídeo de “Hip-Hop”. A pretenção, segundo ele, “é exaltar os pilares da cultura Hip-Hop e demonstrar que apesar de diversas dificuldades, os integrantes do movimento estão unidos.”

PH – As Vidas e Seus Labirintos part. Sub$olo75

“Não é mais novidade, é fato!” O RAP do nordeste está em ascensão. Isso é muito bom para o “movimento”, pois ele precisa estar em constante renovação. O PH está construindo seu espaço usando suas linhas expressivas, conceituais e com belo sotaque nordestino. “O recado é um só, o salve é um só: Respeita o nordeste”, ressalta. “Seguimos ecoando nos falantes, sangrando nos falantes, fazendo trabalhos de alto nível, sempre agregando o melhor ao Rap nacional”.

Jenny Zion – Onde Você Está?

A Jenny Zion é multifacetada: canta, rima e domina o violão. Com seus multiplos talentos, Jenny tem ganhado destaque na região de Campinas, no interior de SP.

“Onde Você Está?” é o single que sucede “Eu Sei”, que ganhará um clipe em breve. Na canção, baseada em fatos reais, Jenny Zion descreve o momento do assassinato de seu melhor amigo em um ponto de ônibus. Ela viu tudo de perto.  A produção é assinada por Jedi, do TrinkaRap.

Herméticos – Era 90

Fazendo referência aos estudos de filosofia oculta atribuídos a Hermes Trimegistro, os Herméticos estão na ativa desde 2015. Composto por Will Greg, Joabe e ISC, o grupo de Santana de Parnaíba/SP segue as influências sonoras dos anos de 1990. Não por a caso, o título do primeiro projeto deles é “Era 90”.

No EP de 6 faixas, os Herméticos exploram bem os samples de Jazz, R’n’B e Neo-soul, sempre baseados nos lengendários RZO, Thaíde & DJ Hum, Rua de Baixo, Wu-Tang Clan e The Pharcyde.

“As batidas são produzidas por Yuri Pontes, Deryck Cabrera e Beatowski”, observam. “Era 90″ é o nosso plano de vôo no cenário nacional após 2 anos de gravações e amadurecimento, buscando na fonte o que há de melhor no rap nacional e internacional focados em apenas um objetivo: entregar um trabalho sólido aos amantes do hip-hop.”

 

Share

Kommentar hinterlassen

E-Mail Adresse wird nicht veröffentlicht.


*


Share
Share
Close